Inspiração vintage: anos 60 (parte 1)

A década de 1960 nos deu divas fashion inspiradoras que marcaram a história. Audrey Hepburn, Grace Kelly, Brigitte Bardot e Marilyn Monroe são só alguns nomes que podem vir à cabeça. Lindas e com muito estilo, até hoje elas são referências quando se trata de moda.

Aqui no blog teremos uma série de posts falando e mostrando o estilo dessas mulheres e trazendo inspirações para nossos visuais do dia a dia. Hoje, vamos começar falando de camisas.

PhotoGrid_1490548056869

A camisa social pode muito bem ser usada tanto no trabalho como num passeio, tudo é questão de adequação. Combinada com shorts ou uma saia despojada, fica com um ar mais leve. Já com calça, a pegada é mais formal.

Como as fotos mostram, a moda da época (que voltou) era usar cós alto. Nada daquelas calças e shorts baixíssimos dos anos 90/2000. E, convenhamos: o caimento é muito melhor e mais confortável.

Trazendo isso para 2017

PhotoGrid_1490632738364

Para modernizar o look vintage, aposte em:

  • Estampas (como uma camisa xadrez)
  • Sapatos como botinhas e tênis
  • Cores vivas
  • Maxi acessórios

Camisa + saia = versatilidade

A saia é uma peça ótima, porque pode passear entre o ambiente de trabalho e a casualidade muito facilmente. No frio, a meia calça ajuda e ainda dá um charme pro visual.

Tá pensando que acabou por aqui? Ainda vai ter post de look do dia com essas dicas! Não percam!

Anúncios

Candy Man

Então, eu sou uma pessoa tarada por doces e, por conta da idade, preciso mesmo dar uma pausa nisso… ou comer escondido!!! Sim, porque doce é como droga, vicia e é um prazer delicioso a cada mordida. Eu adoro doce e seria uma vida muito triste se eu não pudesse mais comer um chocolate, ou a fábrica do Willy Wonka inteira.

É complicado… conseguir doces para gente como eu, que não passou no exame de sangue não é mole. Só que em Niterói tem o Candy Man!!! O Douglas Barros, um carinha que sai pela rua com bombons especiais e mega bem feitos! Por ser um cara preocupado com a saúde que cuida da alimentação e extremamente elegante, o Douglas carrega por aí doces sem lactose, sem triglicerídeos e adoçado com laranja, sei que é o mais nobre gosto do puro cacau com muito gosto de laranja que faz a gente ter vontade de gritar a cada mordida, e, além de tudo isso, vem com uma embalagem muito fofinha, delicada que só aumenta a vontade de morder aquilo!!!

16807753_788981674592971_3001143752597439369_n

Falar do Douglas aqui nesse blog é muito interessante: Douglas tem um belo tipo, um guri magro, alto com um rosto bem feito, um sorriso amigável, olhos negros e mega elegante, sempre achei ele parecido com um cantor de rock estiloso, ele se veste muito bem, e, numa conversa com ele descobri que Douglas, além de ser neto da primeira boleira de mão cheia de Niterói, trabalha também como modelo, além de ser excelente skatista da cidade. Isso mesmo, isso tudo que eu descrevi aí ainda tem a generosidade de fazer o doce mais saudável da cidade e sair por aí, junto com sua linda esposa, oferecendo três peças de puro sabor de chocolate com laranja em um saquinho muito lindo. É ou não é o Candy Man?!

Bem, não pude e nem quis arrancar as receitas do Douglas pelo fato de ser seu “ganha pão” no momento, porém, tenho aqui com os contatos do cara para que você possa ir atrás do seu, corre!!!

Facebook: facebook.com/douglasbarros
E-mail: 1douglasbarros1@gmail.com

Agora, claro que dentro da minha amorosa crueldade deixo aqui uma receita de Pelé, um doce que parece muito com palha italiana, mas eu acho melhor!!! E muito mais fácil de fazer…

426060_10200423651052007_559200781_n

Tudo começa com o bom e velho brigadeiro, aquele que você coloca leite condensado, uma colher de manteiga e chocolate a gosto em uma panela, no fogo baixo, e não para de mexer até dar ponto…

Pois bem, momento antes do tal ponto, tu joga muito biscoito de maisena quebrado – estraçalha o biscoito, mas não até o ponto de moer – e duas colheres de chocolate em pedacinhos ou Nutella e mexe até o ponto… Tira da panela e coloque em um recipiente lindo pra você poder comer com os olhos e jogue um pozinho de cappuccino pra ficar charmoso.

Ah!!! Lamba a colher de pau que você usou pra fazer isso e raspe a panela (essa é a melhor parte).

Depois dessa experiência, curte aqui, comente e, por favor, não conte nada ao seu cardiologista, ou, não diz que fui eu que te ensinei isso, principalmente se seu cardiologista começar com L. Bjs!!!

Unissex

Achei aqui em casa um livro de 1957, que fala a respeito de uma menina que não concordava com o lugar da mulher na antiga sociedade. Ela questionava o seu papel diário dentro de casa, questionava a restrição de determinados livros e músicas, questionava a vestimenta.

Conforme o passar do tempo, a mulher foi mudando suas vestes com o objetivo de revolucionar, se descobrir e provar para o mundo que tudo muda (inclusive ela).

Gosto muito de usar como referência a estilista de alta costura Coco Chanel, que por volta de 1907 inovou a moda ao trocar saias e vestidos pelas calças do próprio “namorido” (hoje em dia chamada de calça boyfriend, hehe) para apenas cavalgar com mais conforto. Nenhuma revolução tão grande na moda foi feita depois dela, pois, para a época, ousar na roupa de tal forma poderia até terminar na delegacia.
Com inspiração nas oportunidades igualitárias de gênero, vim compartilhar com você uma forma de continuarmos inovando. E porque não mantermos um pouco de Chanel em nosso armário? Liberando roupas de padrões como “masculino e feminino” e as colocando, quando possível, apropriadas para ambos os sexos.

Gravatas. Sempre amei gravatas. Acho chiques, estilosas, sexys e potencialmente versáteis. Porque eu disse isso?! Eu explico. Pense diferente, faça diferente, seja a diferença. Tente transmitir a mensagem de que hoje, no século XXI, já podemos ousar, brincar, nos montar e nos libertar.

IMG_20170315_135525_351

Usei uma gravata modelo slim, sem ponta e da minha cor favorita. Usei com uma blusa de loja masculina. Usei calça, antes julgada inapropriada para mulheres. Usei tudo isso defendendo a visão que nós mulheres, como Chanel e como a menina do livro, buscamos: mudança.

Beijo beijo e até a próxima 😉

Resenha: CC Cream Clinique

Eu a-do-ro experimentar produtos novos, principalmente quando o resultado é bom, hehe. E o que eu trago aqui hoje é bom mesmo!

e0e361f8-6959-49ca-a9c8-fddfea28e93d__clinique-moisture_surge_cc_cream_angled_int-v2-newicon_500px

Eu ganhei uma miniatura do CC Cream Moisture Surge, da Clinique e ele realmente me impressionou.

Pra começar, vamos falar um pouquinho da proposta dele? Além de deixar a pele uniforme, ele hidrata e a protege do sol com FPS 30. Diferente do CC Cream City Miracle, da Lancôme, o da Clinique possui cinco tonalidades diferentes: lightlight mediummediummedium deepdeep. Como o meu foi um presentinho por outras compras, veio light medium – eu escolheria o light. Mesmo assim, a cor se adaptou bem à minha pele.

Na hora de aplicar, precisei usar um pincel de base, porque a textura é um pouco pesada, mas depois disso a cobertura fica bem leve e natural, ideal para o dia a dia. O resultado é uma pele bem mais uniforme e bonita.

Aprovado e indicado!

Pão de Queijo melhor que beijo!

Opa! Olha eu estreando no blog já criando polêmica, minha cara isso!

Vamos lá, eu AMO PÃO DE QUEIJO! Sou fã número um do bolinho emborrachado, ao ponto de gostar dele quente e frio. Em Mato Grosso do Sul, onde eu nasci, se faz um Pão de Queijo com nata que fica com a casquinha durinha e seca, no formato de uma gota com o furo de um dedão em cima. Quando eu era pequeno, eu comi uma travessa cheia deles uma noite antes de ir viajar, nem preciso dizer o estrago que fiz no aeroporto de lá, né?! Mas não me arrependo, comi com vontade e, mesmo depois da tragédia, comeria de novo, quase igual aos romanos, eca! Eheheheh…

Teve um dia aí, que passou na tv uma disputa do Pão de Queijo de Minas e o de São Paulo que me deixou aguando do outro lado da tela. Sei que no final não souberam dizer qual dos dois tipos de Pão de Queijo é o melhor, provavelmente eu ia amar os dois, mas, acredito eu que cada região do Brasil tem sua maneira de fazer Pão de Queijo. O daqui de Niterói tem formato de colmeia e é “muxibentão”, uma delícia cheio de sabor e massa pra deixar suas bochechas enormes como de esquilos antes do inverno.

Bem, sei que depois desse programa, resolvi eu fazer Pão de Queijo. Catei uma receita, me joguei no mercado, comprei tudo e mãos à massa. Ficou um desastre!!! Ruim demais!!! O primeiro Pão de Queijo ruim da face da terra nascia ali, no meu forno!!! Claro que me lamentei aos quatro cantos e, eis que uma amiga, Dona Carmo Novello, compadecendo do meu sofrer, me deu uma receita de Pão de Queijo que até um gorila consegue fazer… Facílima e, pasme, perfeita!!! Do jeito q eu curto, casquinha douradinha, durinha e recheio aerado!!! O único trabalho é ficar fazendo as bolinhas…

17270859_10211574673020587_771790476_n
Foto: Carmo Novello

Vou passá-la pra quem leu isso aqui, por pura gratidão, depois comenta, por favor, o que achou?! Para minha patroazinha linda ficar feliz 😀

Vamos lá:

São só 3 ingredientes:

  • Polvilho azedo – uma xicara de chá
  • Uma caixinha de creme de leite
  • Queijo parmesão e mozzarella (ralados) – duas xicaras de chá

Joga em um recipiente o polvilho e o creme de leite, mistura até virar uma pasta, depois coloca o queijo, mas deixa uma pouco do parmesão pra colocar em cima das bolinhas, pouco mesmo…

Depois q tiver bem pastoso, começa a fazer as bolinhas com as mãos, unte uma forma com óleo e sai colocando lá!

Com o forno pré-aquecido – 180º – bem quentinho mesmo, coloca a forma lá e espera uns 30 à 40 min… não mais!

Depois é só comer, gritar: “QUE DELÍCIA! OBRIGADO SÓTER!!!” vir aqui e contar pra mim o quanto sua vida se tornou mais feliz, tá certo?!

Vou nessa papar, sempre!!!
Bom apetite!!!