O que significa “ter estilo”?

Vamos bater um papo? Ontem eu estava no Instagram e vi uma publicação que dizia “copie o estilo de [nome da pessoa]” e isso me fez pensar um pouco. Como assim copiar o estilo? Se você copia o estilo de alguém, automaticamente você não tem estilo nenhum, certo? Então, já pra começar, se em algum momento aqui no blog eu falei de copiar estilo, me enganei profundamente no uso da palavra, porque o que eu quero trazer aqui são inspirações.

Se inspirar no estilo de alguém é completamente diferente de copiar. É como estamos fazendo aqui com os posts da década de 1960: não é pra ninguém sair comprando todas as peças iguais as que a Audrey Hepburn usava, mas sim usá-las como inspiração para o seu dia a dia e acrescentar a própria personalidade. E é esse o ponto que eu quero chegar: sua personalidade é que vai ditar seu estilo. Seus gostos pessoais, suas referências, sua história. Por isso não tem como copiar o estilo de ninguém. Ou você tem o seu ou não tem.

Vale uma observação aqui: copiar look não é a mesma coisa. Às vezes aquele look tem tudo a ver com você!

Então, vamos descobrir nossos próprios estilos!

Anúncios

Ano Novo

2016

Feliz Ano Novo, lindezas! Um pouquinho atrasado, por conta da preguiça pós-réveillon que tomou conta de mim ontem o dia todo. Mas, de qualquer jeito, tá valendo.

2015 passou voando até que foi um ano bem legal pra mim (muito melhor que 2014), mas esses dois anos foram bastante improdutivos e espero que 2016 seja diferente. Em vez anotar meus desejos para esse ano, estabeleci metas, que só dependem de mim para serem cumpridas. Acho que isso vai ser muito importante pra mim: fazer as coisas acontecerem.

E também estou com várias ideias pro blog, então aguardem novidades!

 

Praticando o desapego!

Essa época do ano me leva a pensar em muitas coisas, uma delas é o que eu posso/preciso tirar da minha vida. E isso se aplica a vários aspectos, não apenas ao material. O pensamento é o seguinte: tudo que não é útil para mim, está ocupando um espaço que não deveria, porque as coisas inúteis não acrescentam nada – e, se acrescentam, é algo ruim. Logo, é tempo de renovar, desapegar de tudo aquilo que não me serve mais! Então, desapegue…

Do materialismo

Fazer doações é um tipo de desapego que eu sempre pratico, independente de época do ano. Mas nessa época parece que os contrastes sociais ficam ainda mais evidentes e aquela aquecida no coração que eu falei aqui também nos lembra das pessoas que mais precisam. Justamente por isso, essa semana tirei do meu armário tudo que não uso – coisas que até nunca usei – para doar.

Não guarde seus brinquedos  “para os seus filhos”. Com certeza tem um monte de crianças agora, nesse instante, que adorariam estar brincando com eles. E você que está lendo isso agora, muito provavelmente poderá dar brinquedos novos aos seus futuros filhos.

Já por outro lado, esse desapego também cabe ao consumismo. Vimos a Black Friday aí com descontos que eram pra durar um dia. Mas não, aqui no Brasil é semana Black Friday. E todas as lojas anunciam produtos como se precisássemos daquilo, como se fosse uma oportunidade única que não poderíamos perder de jeito nenhum.

Das pessoas

Experimente dar uma checada nos seus amigos do Facebook. Você realmente gosta das pessoas que estão lá? As opiniões de todas elas combinam com as suas? Te agrada ler o que elas têm a dizer? Aquela ex amiga traíra agrega algo de bom na sua rede social? E aquele seu ex namorado que não traz lembranças muito boas?

Não adianta ter mais de mil “amigos” e não falar com metade deles. Ou até não gostar de alguns. Retire energias ruins da sua vida. Faça uma limpeza de pessoas na sua vida, é bem libertador.

De pensamentos negativos

Quer época melhor para pensar positivo e criar esperanças de um próximo ano maravilhoso? Então, vamos começar a partir de agora a esquecer lembranças ruins e a pensar num presente e futuro maravilhosos!

Do machismo

Desapegue de argumentos machistas, eles não são argumentos válidos e só mostram falta de embasamento. Por exemplo, se te perguntam por que você não gosta de tal menina e você responde “porque ela é uma piranha”, o que isso quer dizer exatamente? Ela fez algo com você? Se sim, conte sua história, se não, fala que não vai com a cara dela que é melhor. E também não xingue a mãe dos outros! Chamar uma pessoa de “filha(o) da p*” não é legal.

Apegue-se:

A bons sentimentos, aos amigos verdadeiros, a pessoas que querem seu bem, boas lembranças,… E a esse clima maravilhoso de Natal e Ano Novo que está aí! ❤